Livros

Economia Solidária: Questões Teóricas e Epistemológicas 

Vive-se um processo de transição paradigmática na produção do conhecimento em que muitos dos pressupostos da ciência moderna se tornam questionáveis. No caso da Economia Solidária e das outras formas económicas não capitalistas, o conhecimento mobilizado pelos cientistas sociais e, em particular, pelos economistas manifesta uma grande dificuldade em captar a riqueza e a diferença específica destas formas de produzir, trocar e consumir. Exige-se novas abordagens epistemológicas e metodológicas que, ao expandir o campo de análise, sejam capazes de reconhecer os aspectos invisibilizados ou negligenciados pelo saber convencional, como é o caso, por exemplo, da subjetividade dos atores, dos modos de participação social e política, da racionalidade alternativa dos empreendimentos, ou das formas de mobilizar e utilizar os recursos escassos. Tudo isto importa ao entendimento do que é a Economia Solidária e constitui um desafio aos pesquisadores e à ciência em geral.

Organização: Pedro HespanhaAline Mendonça dos Santos
Editora: Almedina
Colecção: Colecção CES
Tema: Série Políticas Sociais
Ano: 2011

Cooperativas y Socialismo: una mirada desde Cuba

Cooperativas y socialismo: Una mirada desde Cuba está motivado por nuestra necesidad de contribuir modestamente a un buen surgimiento del nuevo cooperativismo en Cuba, que se avizora como uno de los rasgos de la actualización del modelo económico cubano. Los autores de esta compilación tenemos  la certeza de que la cooperativa de producción es una forma de organización del trabajo adecuada para una sociedad como la nuestra, comprometida con el horizonte socialista.
El análisis del pensamiento de teóricos socialistas, así como de las experiencias actuales de cooperativas en el mundo, demuestran que el modelo de gestión cooperativo está basado en principios organizativos y éticos esenciales para cualquier proyecto socialista. Las relaciones de trabajo asociado que se establecen en su seno y los efectos positivos de esa gestión democrática, son imprescindibles —aunque no suficientes— para avanzar hacia una sociedad donde podamos satisfacer nuestras necesidades materiales y espirituales, que nos permitan desarrollarnos a plenitud como seres humanos. Estas hacen posible una adecuada motivación de las personas en y hacia el trabajo y el desarrollo de sus potencialidades productivas y creativas; al mismo tiempo que promueven sus habilidades y actitudes democráticas y solidarias. Así, las cooperativas deben asumirse no solo como instrumentos para elevar la efectividad de nuestra economía, sino como una forma organizativa que crea condiciones para potenciar capacidades y valores consustanciales al socialismo.

Compiladora: Camila Piñeiro Harnecker
Editorial: Caminos
Local: La Habana
Año: 2011

Download

Dicionário Internacional da Outra Economia

O Dicionário Internacional da Outra Economia está sintonizado com os ideais e as realizações objetivas da outra economia, aquela que se apresenta como alternativa material e humana à economia capitalista. Neste Dicionário são analisados os mais diversificados temas, como os fundamentos e as modalidades da outra economia, os marcos históricos do pensamento alternativo, as redes de colaboração solidária, o comércio justo, entre outros. Ajudar a tornar mais inteligíveis as insuficiências do sistema econômico dominante e as alternativas que vem sendo protagonizadas pelos atores da economia social e solidária, é a proposta deste livro.

Referência: Luiz Inácio Gaiger, Pedro Hespanha, Antônio Cattani e Jean-Louis Laville. Dicionário Internacional da Outra Economia. Almedina, 2009.
Modo de aquisição: site da editora Almedina

Redes de Cooperação empresarial – Estratégias de gestão na nova economia

Este livro é fruto de uma década de pesquisas acadêmicas e de atuação profissional na formação e gestão de redes de cooperação empresarial. Pretende contribuir para a compreensão dos conceitos fundamentais das redes empresariais, dos ganhos que proporcionam e, sobretudo, dos fatores que envolvem o seu estabelecimento e a sua gestão. O livro é dirigido aos empresários, aos gestores e demais interessados no tema, bem como aos alunos de graduação e pós-graduação dos cursos da área de administração e economia.
Referência: Alsones Balestrin e Jorge Verschoore. Redes de Cooperação Empresarial – estratégias de gestão na nova economia. Bookman, 2008.

Lições de Catende – A construção de uma autogestão em Pernambuco

Em Lições de Catende, Fernando Kleiman explora com sutilezaExplora com sutileza e coragem as vitórias e os desafios que a gigantesca autogestão em Pernambuco logrou e enfrenta. As vitórias sobre a água e o fogo e sobretudo sobre a discórdia tornam viáveis e prováveis novos avanços para um modelo gestionário autenticamente transparente e democrático.

Os desafios, no entanto, continuam grandes e se encontram principalmente no terreno econômico. Catende tem de abrir caminho para a prática da agricultura ecológica e para tomar parte na produção de biocombustíveis, sem deixar de lado a urgente melhoria do padrão de vida de todos os trabalhadores.
Por mais complexo que seja o quadro de desafios ecológicos e sociais, o desempenho das mulheres e homens de Catende nesses últimos doze anos permite alimentar a esperança de que serão capazes de superá-los. Além de torcer por eles, cabe a nós todos, ativistas e praticantes da economia solidária, apoiar sua luta, que não é só deles, mas nossa também. Com Catende, a outra economia que já vem acontecendo poderá cumprir sua missão transformadora no Brasil e quem sabem além-fronteiras.
Paul Singer
Referência: Fernando Kleiman. Lições de Catende – A construção de uma autogestão em Pernambuco. Annablume Editora, 2008.

Microempreendedorismo em Portugal – experiências e perspectativas
Referência: José Portela (Coordenação), Pedro Hespanha, Cláudia Nogueira, Mário Sérgio Teixeira e Alberto Baptista. Microempreendedorismo em Portugal. POEFDS, Junho 2008.

Recicloscópio: Mirada sobre los recuperadores urbanos de resíduos de América Latina

La expansión de la práctica de la recuperación informal de residuos a partir de la década del 90, y puntualmente en Argentina después de la crisis desatada en diciembre 2001, ha generado múltiples efectos tanto en el plano de la acción estatal como en el de la auto-organización de sus principales protagonistas y de la creación de redes conotros actores sociales (asambleas barriales, cooperativas, ONGs, etc). Este libro tiene el propósito de dar a conocer un conjunto de trabajos en los cuales el fenómeno es sometido aun análisis exhaustivo, a la vez que propone un abordaje del problema no exclusivamente centrado en la Argentina, incorporando también una mirada sobre el fenómeno en otros países latinoamericanos. Centrado en la dinámica de la coyuntura, el libro ofrece también una visión integral de la problemática en cuestión.
Destaque para o artigo artigo intitulado Catador de Papel del Brasil – Algunas consideraciones generales de José Raimundo de Souza.
Referência: SCHAMBER, Pablo e SUAREZ, Francisco (compiladores). Recicloscópio: Mirada sobre los recuperadores urbanos de resíduos de América Latina. Buenos Aires : Prometeo Libros; Los Polvorines: Univ. Nacional de General Sarmiento;Lanus: Umiv. Nacional de Lanus, 2007.

Psicologia Social e Economia Solidária
“Um trabalho extremamente atual! Propõe-se enfrentar, entre outras, três questões fundamentais. A primeira, que está subjacente e implícita ao estudo, é mostrar as transformações cruciais por que passa o mundo do trabalho no momento presente. As novas tecnologias redimensionaram profundamente o que se costumava chamar de trabalho e emprego.
A segunda questão aborda, com detalhes teóricos e práticos, as estratégias que estão sendo criadas, em nível mundial, para enfrentar essa problemática. Discute com rigor o que se passou a chamar de economia solidária, as inúmeras alternativas que estão sendo construídas pelos despossuídos e excluídos dos processos tradicionais de trabalho.
Finalmente, a terceira questão enfrenta, corajosamente, uma dimensão que poucas vezes é levada em consideração, mas que é fundamental quando se pretende discutir alternativas novas e corajosas diante de situações vitais como essa questão da sobrevivência no novo cenário das relações de trabalhos: como fica a subjetividade dos trabalhadores e trabalhadoras? O estudo empírico realizado é muito provocante e as contradições que surgem são discutidas com clareza e coragem.
É um estudo extremamente inovador, muito bem fundamentado no que há de melhor e mais atual na reflexão teórica contemporânea sobre o tema, embasado em excelente pesquisa empírica e, principalmente, oferecendo inúmeras pistas de alternativas diante do sufoco econômico e psicológico causado pelas mudanças repentinas e profundas no mundo da vida das pessoas.”
Pedrinho A.Guareschi
Referência: VERONESE, Marília V. Psicologia Social e Economia Solidária. Porto Alegre: 2008. Idéias & Letras.

La economia social desde la periferia – contribuiciones latinoamericanas
Este volume pertence à coleção Lecturas sobre Economia Social, publicado pela Editorial Altamira. Este livro coloca ao alcance do público a discussão e reflexão entre diversas correntes e suas propostas para a construção de outra economia, uma economia socialmente responsável frente a sociedade. Essa busca se situa geográfica, cultural, ética e politicamente na primeira periferia do primeiro sistema-mundo (eurocêntrico). A partir da América Latina a busca de caminhos possíveis na certeza de que outra economia é necessária, uma economia justa e solidária, orientada pela responsabilidade de dar base material e uma vida digna a todos.
Referência: CORAGGIO, José Luis. La economía social desde la periferia – contribuiciones latinoamericanas. Buenos Aires: 2007. Editorial Altamira.

Economia Solidaria y subjetividad
Os trabalhos que compõem esta coleção, tem sido eleitos por sua contibuição à compreensão dos processos sócio-econômicos e, em particular, por sua utilidade da formação de profissionais de economia social.
O volume que hoje colocamos ao alcance do público recorre trabalhos de autores brasileiros inseridos em psicologia social de alcance teórico e/ou etnográfico que propõem como objeto de reflexão científica um problema crítico que experimentamos nas práticas coletivas orientadas para a construção de outra economia: esta contrução implica não só em suportes materiais, mas também na construção de outra subjetividade, tarefa difícil quando o sistema predominante segue pautando comportamentos, valores e expectativas dos trabalhadores a partir da perspectiva economicista de um trabalho assalariado e individualista.
Referência: VERONESE, Marília Veríssimo (org). Economía Solidaria y subjetividad. Buenos Aires: Altamira, 2007

O Fórum Social Mundial: Manual de Uso
O Fórum Social Mundial é a manifestação mais concistente e global da resistência contra o neoliberalismo. Nele se congrega movimentos e associações dos mais diversos países atuando nas mais diversas áreas de intervenção, irmanados na luta contra a exclusão, desigualdades e discriminações sociais e a destruição da natureza produzidas ou intensificadas pela globalização neoliberal.
O FSM é um fenômeno político novo, e este livro procura dar conta das suas principais novidades nos domínios cultural, político e organizativo. Analisa-se em detalhe a evolução do FSM desde a sua criação em 2001. As tenções que o atravessam e os principais desafios com que se confrotam.
Referência: SANTOS, Boaventura de Sousa. O Fórum Social Mundial: Manual de Uso. São Paulo: Cortez, 2005

Tecnologia Social e Desenvolvimento Social e Solidário
Este livro objetiva ampliar o debate sobre o pape da tecnologia na promoção da justiça social no Brasil. A articulação da tecnologia com o objetivo de reconquistar a soberania dos povos tem, no caso hindu, um exemplo emblemático. A luta contra o jugo inglês, liderada por Gandhi, inspirou, na segunda metade do século XX, o surgimento do conceito de Tecnologia Apropriada, instrumento a serviço dos povos do Sul, excluídos dos benefícios da modernidade encontrados nos países centrais.
Referência: LIANZA, Sidney ; ADDOR, Felipe (Org.). Tecnologia Social e Desenvolvimento Social e Solidário. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2005.

Desigualdades na América Latina: novas perspectivas analíticas

Esta obra está sendo publicada em um momento singular. O século XXI pode ser denominado como um processo de mundialização, marcado pela globalização da economia e pelo avanço do capital especulativo, pela pós-modernidade como forma cultural, pela expansão da produção pós-industrial e pela precarização das relações do trabalho assalariado. Esta é a grande importância deste livro, reunindo qualificados cientistas sociais latino-americanos: interpretar as questões da desigualdade, da pobreza e da exclusão nas sociedades latino-americanas, em suas várias dimensões.
Referência: CATTANI, A. D. (Org.) ; DIAZ, L. M. (Org.). Desigualdades na América Latina: novas perspectivas analíticas. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005.

Action Publique et Économie Solidaire: Une perspective internationale
Comment la politique peut-elle retrouver ure capacité d’intervention pour améliorer les conditions aie vie sur ses territoires ? La question est au centre de ce livre coécrit par des acteurs sociaux des responsables publics et des chercheurs. En effet, il existe depuis une trentaine d’années un foisonnement d’initiatives qui veulent concilier économie et solidarité (commerce équitable, coopératives populaires, services de proximité, gestion des services urbains par les habitants, systèmes et réseaux d’échange, auto production, agriculture et magasins biologiques, restaurants interculturels de femmes, créations d’activités par les chômeurs, autres formes d’entreprenariats collectifs…). Menées par des associations très diverses, elles témoignent d’une dynamique réelle de la société civile dépassant largement les modes de réparation sociale ou de survie pour aller vers des activités porteuses de développement durable. Ce qui est nouveau, c’est que les politiques publiques, questionnées lors des dernières décennies par ces pratiques, commencent à les prendre en compte aux niveaux national, régional et local Les expérience s dans deux pays particulièrement concernés, France et Brésil, sont ici restituées, permettant ainsi une comparaison Nord-Sud. Dans des contextes différents, la question de la relation entre action publique et économie solidaire devient un enjeu fondamental pour la construction sociale d’une alternative à la mondialisation libérale.
Referência: LAVILLE, Jean-Luis; MAGNEN, Jean Philippe; FRANÇA FILHO, Genauto C. de; MEDEIROS, Alzira (orgs.) Action publique et èconomie solidaire; Une perspective internationale. Saint-Agne: Éditions Érès, 2005.

Sentidos e Experiências da Economia Solidária no Brasil
Esse livro apresenta os resultados da primeira pesquisa sobre Economia Solidária realizada em escala nacional no Brasil. No período 199-2003, diversas equipes de pesquisa trabalharam na coleta e análise de dados, buscando traçar um quadro amplo e fidedigno desta nova realidade social e econômica, composta por inúmeras iniciativas populares de produção econômica, de comercialização e de crédito, baseadas todas na união de forças e nos princípios de autogestão e de cooperação. Da mesma forma, foram identificadas as organizações de apoio aos empreendimentos solidários, as instâncias representativas criadas por seus diferentes setores e as principais políticas públicas instituídas pelo Estado. Os capítulos do livro sintetizam as principais conclusões da pesquisa, em diferentes estados e regiões do país. Somando-se essas contribuições, têm-se um avanço importante de dados objetivos e na compreensão das razões de emergência e da economia solidária nos últimos anos, das suas lógicas de desenvolvimento e das possibilidades para que essas múltiplas experiências se consolidem e ganhem um sentido decisivo para as lutas de emancipação dos trabalhadores. Com esse trabalho, a Rede de Estudos e Pesquisas UNITRABALHO visa oferecer mais um instrumento para o nosso pensar e o nosso agir transformador.
Referência: GAIGER, Luiz Inácio (Org.) Sentidos e experiências da Economia Solidária no Brasil. Porto Alegre: editora da UFRGS, 2004. 414p.

Trabalho e Educação – Arquitetos, abelhas e outros tecelões da economia popular solidária
Com a intenção explícita de buscar a “unidade da diversidade” sobre os caminhos da “pedagogia da produção associada” tanto no âmbito teórico-metodológico quanto na ação prática, a coletânea objetiva mostrar que a economia popular solidária, no espaço contraditório das relações sociais de produção capitalistas, produz uma formação humana e processos educativos e culturais que se contrapõem e refutam a pedagogia do capital que aparece sob diferentes denominações no ideário pedagógico atual: “pedagogia empresarial”, “pedagogia da fábrica” (capitalista), “educação para o empreendedorismo” ou “educação para a gestão do próprio negócio”. O livro se dirige a um amplo público ligado aos cursos de graduação e pós-graduação em ciências sociais e humanas, a educadores e educadoras ligados aos movimentos sociais, sindicatos e a formuladores de políticas sociais e públicas comprometidos com os anseios e lutas das classes populares.
Referência: TIRIBA, Lia & PICANÇO, Lia (orgs.) Trabalho e educação: arquitetos, abelhas e
outros tecelões da economia popular e solidária. Aparecida (SP): Idéias e Letras

Dictionaire de L’Autre Économie
Le succès du libéralisme a longtemps laissé dans l’ombre une partie importante de l’économie réelle ; ses tenants le présentent même comme le seul modèle possible. Cette prétention est aujourd’hui très contestée, en particulier par le mouvement de l’altermondialisation. Mais ce dernier, loin de se réduire à la seule critique, est capable d’élaborer des propositions concrètes pour promouvoir plus de solidarité et de démocratie. C’est pour favoriser cette réflexion sur l’autre économie que ce dictionnaire propose la première synthèse fiable et accessible des connaissances disponibles. Interdisciplinaire autant qu’international, il offre une définition approfondie de 50 termes clés : commerce équitable, développement durable, organisations internationales, service public… Ces notions s’inscrivent dans l’histoire comme dans l’actualité la plus récente. Outil indispensable pour les acteurs, les chercheurs et les étudiants, cet ouvrage allie une approche théorique à la prise en compte de pratiques sociales jusqu’ici méconnues.
Referência: LAVILLE, Jean-Louis; CATTANI, Antônio David. Dictionaire de l’autre économie. Editeur: DESCLEE DE BROUWER

Economia Social y Solidaria – Uma visión europea
“Economía Social y solidaria: uma visión europea” es una obra que tiene por objeto dar cuenta del debate europeo sobre la economía social y solidaria. Em ella se indica por qué las distintas conceptualizaciones europeas se distinguen de la definición del Tercr Sector adoptada por los enfoques norteamericanos que se inscriben em el marco de la economía neoclásica y la teoria de la elección racional. Muestra que la tradición europea se caracteriza por la atención prestada a la articulación por entre las dimensiones sociopolítica y socioeconómica a través de um enfoque dinámico e histórico y que esta especificidad implica uma integración em el campo de las organizaciones sin ánimo de lucro, sino que comprende a las cooperativas y las mutualidades. La primeira parte de la obra está centrada em la prestación de las nuevas dinámicas que validam por constataciones empíricas el renacer de uma perspectiva de economía solidaria. La segunda parte pone de manifiesto las aporías de los análisis del Tercer Sector, aunque también los aportes y límites de la economía solidaria susceptible de contribuir a superar estos límites y promover um enfoque plural de la economía articulada a uma aspiración democrática.
Referência: LAVILLE, Jean- Louis, (Compilador). Economía Social y Solidaria: uma visión europea. Buenos Aires, Altamira: 2004. 288p.

Politica Social y Economia Social – Debates fundamentales
Política Social y Economía Social, Debates fundamentales es una compilación de textos recientes que, desde distintas perspectivas, contribuyen a la reflexión y a la reformulación de problemas que conectan el campo de la política social y la propuesta de la Economía Social. No se trata de um libo celebratorio ni complaciente com ninguno de los enfoques que aquí se exponen; por el contrario, la selección de los tranajos tuvo el propósito de buscar los límites de cada perspectiva y de mantener alerta la capacidad de autovigilancia, de manera de contribuir a nuevas reflexiones y a la formulación de nuevos problemas. Los debates que el libro propone se inscriben em el complejo preceso histórico em el que se han construido las condiciones de vida em los dos últimos siglos. Esto permite observar que épocas y geografías muy distantes se encuentran sorprendentemente cercanas en sus recurrencias, en sus problemas, en sus interrogantes y em sus respostas/propuestas. Por esse motivo, el libro se divide em tres partes, cada una de las cuales pretende dar cuenta de los orígenes, de los debates y políticas actuales, y de los nuevos horizontes.
Referência: DANANI, Claudia, (Compiladora). Política Social y Economía Social. Debates funtamentables. Buenos Aires, Altamira: 2004. 240p.0p

Economia Solidária: Uma Abordagem Internacional
Este livro lança um olhar sobre a realidade de uma outra economia que se gesta em diferentes partes do mundo a partir de iniciativas, sobretudo da natureza da cooperativista e associativista, oriundas da sociedade civil e dos meios populares. Essas outra economia é mais conhecida sob o termo de Economia Solidária, em razão da sua vocação a posicionar o princípio da solidariedade no centro da sua prática de elaboração a posicionar o princípio da solidariedade no centro da sua prática de elaboração de atividades econômicas. O livro apresenta análises com apresenta análises com perspectivas sociológicas e antropológicas conduzindo a uma redefinição do sentido de agir econômico em sociedade, abrindo ao leitor a possibilidade de compreensão de uma multiplicidade de princípios capazes de influenciar o comportamento econômico, entre o simples interesse material, a redistribuição e reciprocidade. Sob uma perspectiva comparativa de alcance internacional são confrontadas nesta obra as realidades européia e latino-americana através de análise histórica, da descrição de experiências, da caracterização de contextos e do debate conceitual. A interrogação fundamental é sobre a potencialidade desta outra economia no enfrentamento das problemáticas contemporâneas ligadas ás questões da pobreza e da exclusão social.
Referência: FRANÇA E FILHO, Genauto Carvalho de; LAVILLE, JeanLouis. Economia Solidária:Uma Abordagem Internacional. Porto Alegre: UFRGS, 2004. 199p.

Trabalho, Educação e Cidadania
De fato, Educação, Trabalho e Cidadania é uma reflexão que nasce da prática exercida no dia a dia dessas escolas – muitas das quais vêm atuando desde os difíceis anos 60 e 70 – e cujo processo desemboca numa proposta de educação que quer fazer transbordar para o conjunto dos cidadãos trabalhadores a riqueza que vem sendo acumulada por essas escolas e por seu Conselho de Escolas e Trabalhadores.
Referências: LARA, Xico.Trabalho, Educação e Cidadania. CAPINA, CERIS, MAUAD Editora

Humanizar o Infra-humano – A Formação do Ser Humano Integral: Homo evolutivo, práxis e economia solidária
Este livro é o primeiro de uma trilogia sobre a formação do ser humano integral. Ele busca respostas a um conjunto de questões fundamentais para a existência humana no mundo da globalização neoliberal. Dialogando com alguns dos mais destacados autores do Ocidente e outros de culturas não ocidentais, o autor convida os leitores a participar da aventura de examinar o passado da terra e do homo a partir do presente, a fim de visualizar os cenários que se abrem para o futuro do indivíduo, da espécie e do planeta.
Referências: ARRUDA, Marcos. Humanizar o Infra-Humano. A Formação do Ser Humano Integral: Homo evolutivo, práxis e economia solidária. Petrópolis: Vozes, 2003. 264p

Economia Popular e Solidária – Desafios Teóricos e Práticos
Os textos publicados neste livro resguardam a memória do Seminário Economia Popular e Solidária, realizado de 12 a 14 de setembro de 2001, no Recife. O Seminário foi promovido como parte das comemorações pelos 50 anos dos cursos do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal de Pernambuco. Trata-se de uma parceria bem sucedida entre a Pós – Graduação em Sociologia da UFPE e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da PCR, com vistas a aprofundar o conhecimento dos novos mecanismos e das novas possibilidades de gestação de solidariedades econômicas e sociais.
Referência: MEDEIROS, Alzira. MARTINS, Paulo Henrique. Economia Popular e Solidária: desafios teóricos e práticos. Recife: Bagaço, 2003. 120p.

A Outra Economia
Inúmeras formas de organizar a produção material e os serviços aparecem, atualmente, como alternativas à economia capitalista. Designadas por termos tais como economia solidária, socioeconomia, novo cooperativismo, empresas autogestionárias e outros, estas formas correspondem a realizações inovadoras, associadas a novos valores e princípios que se opõem às práticas excludentes, sócio e ambientalmente predatórias.
A construção do novo, do socialmente mais avançado, remete a processos complexos que ultrapassam a mediocridade e as limitações das relações de produção capitalistas. Nestas, os termos associados são: concorrência, exploração, acumulação compulsória, exclusão. A outra economia é regida pelos princípios de solidariedade, da sustentabilidade, da inclusão, enfim, da emancipação social. não se trata apenas de boas intenções, mas de realizações concretas, viáveis e, sobretudo, em acelerada expansão no mundo inteiro.
Esta obra constitui-se num esforço coletivo de teorizar sobre o processo em curso. Nela são conceituados, de maneira clara e rigorosa, os principais fenômenos e valores que rompem com os modelos dominantes e que dão consistência às alternativas.
Referência: CATTANI, Antônio David. A outra economia. Porto Alegre: Veraz, 2003. 306p.
aoutraeconomia@uol.com.br, veraz@veraz.com.br

The Emergence of Social Enterprise
“Social enterprise” and “Social entrepreneurship” are concepts that only recently come into common or official use. As yet, they have no widely accepted definition, nor any precise set of specific characteristics. This book presents the fruits of a four-year reserch project analysing the emergence of social enterprises in all fifiteen EU states.
By comparing the different national experiences of each country, the book traces the most significant developments in social entrepreneurship emerging in Europe. The work also examines the more traditional non-profit or third sector organisations. The final chapters presents an initial attempt to outline a theory of social enterprise.
The reserch confirms that organisations which have simultaneously an entrepreneurial dynamic and social aim are expanding in many countries.The contributors suggest that these enterprises not only enhence social services in welfare states, but also supply an additional and often innovative provision, mixing public and private resources, and vonluntary and paid workers. For these reasons, social enterprises deserve serious attention from policy- makers, practitioners and academics interested in a more pluralistic economy and new welfare society.
Referência: BORZAGA, Carlos. DEFOURNY, Jacques.The emergence of social enterprise. Routledge:Hardcover, 2001. 400p.

Socioeconomia de la Solidariedad
En medio de las crisis que tipificam nuestro mundo actual, innumerables experiencias de economías alternativas y solidarias emergen como respuesta.
Paralelamente se da una elaboración teórica que va delineando un nuevo paradigma – sustento de los proyectos alternativos concretos- basado en una concepción ” comprensiva” de la economía, opuesta al mundo globalizado que promueve valores egoístas y una competividad desenfrenada.
La socioeconomía de la solidaridad, como alternativa a los modelos de desarrollo capitalistas que están al origem de las amenazas que sufren tanto la sociedad como la naturaleza.
Desde esta perspectiva la economía se define como el conjunto de actividades que tienden a satisfacer las necessidades humanas en el marco de la vida social y cultural que la contienen.
Una economía que se distancia de los modelos economicistas imperantes para basarse en la solidaridad y la cooperación.
Referências: GUERRA, A. Pablo. Socioeconomia de la solidariedad. Montevideo:Nordan Comunidad, 2002. 240p.
nordan@nordan.com.uy

A Dádiva entre os Modernos – Discussão sobre os Fundamentos e as Regras do Social
Seleção de textos publicados na Revue di M.A.U.S.S. (revista do Mouvement Anti-Utilitariste dans les Sciences Sociales), uma revista que se opõe a todas a as formas de economicismo, e não acredita que o homem seja ou deva ser considerado, em primeiro lugar como um homo oeconomicus; seu título presta homenagem a Marcel Mauss, sociólogo, autor de “Ensaios sobre a dádiva” e precursor das idéias sobre o sistema social da dádiva. “A Dádiva entre os Modernos” é uma colaboração para uma crítica mais sistemática do utilitarismo econômico, que embasa doutrinamente o neoliberalismo e, também, para melhor compreender certas modalidades concretas de invenção do vínculo social, como aquelas do livre associacionismo.
Referências: MARTINS, Paulo Henrique (org.). A dádiva entre os modernos. Discussão sobre os fundamentos e as regras do social. Petrópolis:Vozes, 2003. 336p.

Como Organizar Redes Solidárias
Este livro se destina a organizações da sociedade civil, consumidores e trabalhadores, produtores e prestadores de serviços interessados em organizar e participar de redes de colaboração solidária.
Nele são apresentados, de maneira didática, os diversos mecanismos atualmente utilizados em redes de economia solidária e uma série de esclarecimentos sobre como assegurar a viabilidade financeira dos empreendimentos, como realizar diagnósticos de rede, consolidar e expandir as redes de solidárias locais e integrá- las em redes regionais, estaduais, nacionais e mundiais, fortalecendo os empreendimentos que venham a ser criados, para que sejam bem- sucedidos.
É, pois, uma valiosa ferramenta no trabalho de organização e educação popular.
Referência: MANCE, Euclides André. Como organizar redes solidárias. Rio de Janeiro: DP&A, Fase, 2002.
fase@fase.com.br

Economia Cidadã – Alternativas ao Neoliberalismo
Economia Solidária, Empresa Social, Novo Cooperativismo, Socioeconomia Solidária, são alguns dos termos que identificam propostas e realizações que não se confundem com a lógica dominante da economia capitalista, impulsionada pela concorrência fratricida, pela produção e pelo consumo alienados.
Analisando seus fundamentos teóricos e sociais e, baseado em múltiplos exemplos, Henri Rouille d’Orfeuil destaca que essas iniciativas são viáveis e que elas têm um potencial imenso na medida em que a solidariedade e a cooperação têm dimensões internacionais.
Ativo participante do Fórum Social Mundial de Porto Alegre, d’Orfeuil desmostra que não apenas “um outro mundo é possível” mas que ele está sendo construídoem várias partes do planeta.
Referências:
D’ORFEUIL, Henri Rouillé. Alternativas ao neoliberalismo. Petrópolis: Vozes, 2002.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Grupo de Pesquisa em Economia Solidária

%d blogueiros gostam disto: